10 de setembro de 2014

1º Congresso Internacional de Direitos Humanos

Museu Assis Chateaubriand   

A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), com apoio da Universidade de Salamanca (Espanha), realiza, nos dias 15 e 16 de setembro, no Museu Assis Chateaubriand, o 1º Congresso Internacional de Direitos Humanos. As inscrições para participação no evento estão sendo realizadas até o dia 10 de setembro, através do endereço eletrônico http://direitoshumanos2014.com.br/ com data limite para submissão de trabalho o dia 29 de agosto. Podem se inscrever alunos de graduação e pós-graduação, professores e pesquisadores do Ensino Superior, bem como profissionais do Direito e de outras áreas que tenham interesse na temática.
O evento tem por objetivos favorecer uma reflexão crítica sobre os Direitos Humanos, na perspectiva do direito à singularidade e às diferenças, e a efetivação da cidadania plural; otimizar a relação interinstitucional entre a UEPB e outras Instituições de Ensino Superior, notadamente com a Universidade de Salamanca (Espanha); além de estabelecer canais de articulação entre o Grupo de Pesquisa “Direitos Fundamentais: Direito à Singularidade e às Diferenças” (UEPB/CNPq) e a sociedade civil.
Com a temática “Direito à singularidade e às diferenças”, o congresso é uma realização da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), através do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ), com apoio da Universidade de Salamanca. A programação conta com conferência, sessões scadêmico-científicas, debate, atividades culturais, apresentação de trabalho técnico-científico, além da participação de palestrantes renomados nacional e internacionalmente, a exemplo da professora doutora Maria Esther Martinéz Quinteiro e o professor doutor Adán Carrizo González-Castell, ambos da Universidade de Salamanca.
Informações: (83) 3341-2299.
9º Encontro Nacional das Licenciaturas em Ciências Agrárias e 1º Simpósio de Licenciatura em Ciências Agrárias 
A cidade de Bananeiras, no Brejo paraibano, vai receber durante os dias 13 e 16 de outubro, centenas de estudantes, professores e pesquisadores que irão participar do 9º Encontro Nacional das Licenciaturas em Ciências Agrárias e do 1º Simpósio de Licenciatura em Ciências Agrárias (Simlica), promovidos pelo curso de Ciências Agrárias da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), do Câmpus de Catolé do Rocha, em parceria com a Universidade Federal de Paraíba (UFPB), através do auxílio financeiro conquistado através de aprovação de projeto pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).
Nos eventos serão debatidas questões sobre agricultura familiar, agronegócio, mundo do trabalho e sustentabilidade familiar, que farão parte de um encontro que tem como objetivo o favorecimento de propostas alternativas, esclarecimento de dúvidas e sugestões de melhorias no curso e na comunidade. Dentre as atividades que serão realizadas estão plenárias de discussão para docentes, discentes e profissionais que se interessem pelo futuro das Licenciaturas em Ciências Agrárias.
Além da comunidade acadêmica do Câmpus da UEPB de Catolé do Rocha e do Câmpus da UFPB em Bananeiras, deverão participar outros acadêmicos de Instituições de Ensino Superior do Brasil e professores da rede de ensino básico, além de representantes de entidades relevantes como a Associação de Profissionais das Licenciaturas em Ciências Agrícolas (APLICA). As inscrições para a participação no evento podem ser feitas até o dia 30 de setembro. Outras informações sobre o encontro e orientações para a submissão de trabalhos podem ser encontradas no endereço eletrônico http://www.cchsa.ufpb.br/simlica/.

8 de setembro de 2014

Universidade Estadual firma convênio com Prefeitura de Parelhas para realização de concurso público

A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), através de Comissão Permanente de Concursos (CPCON), vai realizar o próximo concurso público da cidade de Parelhas (RN). Para isso, um convênio foi assinado na manhã desta sexta-feira (5), entre o reitor da instituição, professor Rangel Junior, e o prefeito Francisco de Assis Medeiros.

O prefeito Francisco de Assis destacou a importância do convênio e destacou que decidiu procurar a UEPB para realizar o concurso de Parelhas devido à credibilidade que a Instituição possui nessa área. “Com a parceria com a UEPB, vamos fazer um concurso com lisura e transparência”, afirmou o gestor municipal.

Rangel Junior lembrou que a UEPB tem se destacado na realização dos concursos públicos justamente por primar pela transparência e lisura, não tendo até o momento registrado um único problema na aplicação das provas. “A UEPB está construindo uma experiência muito rica de realizar bem feito os concursos públicos. A preservação do nome da Instituição é fundamental”, salientou o reitor.

O concurso público do município de Parelhas será realizado no dia 16 de novembro. No total serão oferecidas 203 vagas, sendo 200 destinadas para diversos cargos na Prefeitura Municipal e três para a Câmara de Vereadores. Os cargos serão de professores, médicos, enfermeiros, psicólogos, dentistas, técnicos em enfermagens, auxiliares administrativos, guardas municipais, entre outros. Os salários variam de R$ 724 a R$ 6,5 mil.

O edital com todas as informações sobre o certame será publicado em breve, com previsão para abertura das inscrições na terceira semana de setembro. A taxa de inscrição varia e acordo com o nível, sendo R$ 40 para o nível fundamental; R$ 60 para nível médio e R$ 80 para nível superior. As normas do processo serão disponibilizadas no endereço eletrônico http://cpcon.uepb.edu.br.

Acompanharam a assinatura do convênio, no Gabinete da Reitoria, em Bodocongó, a professora Ana Alice Sobreira, presidente da CPCON, e o professor Edmar José da Silva, presidente do Sindicato dos Servidores Municipais e da Comissão que ficará responsável em organizar o concurso do município potiguar.


7 de setembro de 2014

PÁTRIA AMADA BRASIL!

Pr. Gilson Souto Maior Jr
Pastor da Igreja Batista do Estoril
Bauru-SP 

Hoje, 7 de setembro de 2014, o nosso país comemora sei 192º ano da independência política de Portugal. Sabemos, entretanto, que a história é bem diferente do que gostaríamos de pensar, pois se olharmos a história não vemos nada glamouroso nela. Nossa independência foi comprada enquanto todos os países da América Latina lutaram contra a metrópole; fomos o último país das Américas a abolir a escravidão, o único a adotar o sistema monarquista e quando veio à República somente os militares estavam à frente do processo. Nesses quase duzentos anos tivemos dois imperadores (Pedro I e Pedro II), um período de regência (1831-1840), trinta e cinco presidentes (9 militares e 23 civis), duas juntas militares, dois golpes e sete constituições.
Numa visão ainda mais crítica não temos muito do que nos orgulhar. No Índice de Progresso Social (IPS) o Brasil é o 46º entre 132 países. Na educação, segundo a UNESCO (2012), 8,7% da nossa população é analfabeta. De acordo com o PNAD/IBGE (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), 18,3% dos brasileiros são considerados como analfabetos funcionais. No ranking da educação estamos entre os cinco piores, mais precisamente em 38º lugar.
Quanto à segurança e a violência temos que amargar, segundo o Mapa da Violência, pois somos o 7º país mais violento do mundo. Em 2012 o país chegou a 152 assassinatos por dia ou 56 mil por ano. Isso significa 1,4 massacres do Carandiru por dia. As vítimas em sua maioria são homens (11 vezes maior que das mulheres), jovens (30 mil em 2012) entre 20 a 24 anos. Depois do homicídio, o que mais mata em nosso país é o trânsito com, o quarto mais violento do mundo, com uma projeção de mais de 48 mil mortes para 2014; e depois tivemos um crescimento de 33% nos suicídios em dez anos.
E olha que não falamos de outras coisas. Vivemos uma epidemia de dengue, caos na saúde, falta de remédios, médicos sobrecarregados, hospitais sucateados, gente morrendo aos milhares, universidades sucateadas, escolas abandonadas, aposentados cada vez ganhando menos e milhões de pessoas endividadas com uma economia parada. Em outras palavras, estamos no meio de um furacão e não temos luz no fim do túnel.
O que nós como cristãos precisamos fazer? Devemos seguir a orientação de Deus aos exilados em Babilônia: “Empenhai-vos pela prosperidade da cidade, para onde vos exilei, e orai ao SENHOR em favor dela; porque a prosperidade dela será a vossa prosperidade. Pois assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Não vos deixeis enganar pelos profetas e adivinhos que vivem entre vós, nem deis ouvidos aos sonhos que eles sonham por vós” (Jeremias 29:7,8). O que Deus queria dizer com isso?
Em 597 a.C. O rei Joaquim e sua corte foram exilados para Babilônia com o que havia de melhor em Judá, entre eles os profetas Ezequiel e Daniel. Nabucodonosor II havia deixado um rei-fantoche no lugar (Zedequias) e esperava com isso cessar toda e qualquer rebeldia dos judeus. No entanto, muitos judeus escreviam aos exilados que os profetas estavam pregando a libertação e a destruição de Babilônia, com o retorno do rei para Jerusalém. O que poucos acreditavam é que aqueles profetas eram falsos e a mensagem deles era pura fantasia, de modo que Deus ordena a Jeremias a escrever uma carta aos exilados para que eles orassem pela Babilônia e trabalhassem para o bem daquele lugar.
Talvez nós olhemos tudo ao nosso redor e pensemos: “Como vou orar por isso aqui? Somente com a Vinda de Cristo isso aqui vai tomar jeito”. De fato, Cristo colocará tudo no lugar, mas enquanto Ele não vem e o tempo de Deus não se concretiza precisamos pensar o que nós, como filhos do Reino, podemos fazer nessa nação que Deus permitiu que nascêssemos? Como podemos brilhar como luz nas trevas que cercam o Brasil?
Primeiro, temos que nos lembrar de que toda essa distorção que existe em nosso país é fruto do pecado na raça humana. Imoralidades, corrupção, pobreza, miséria, engano, violência e tantas outras coisas nada mais são que o reflexo do pecado na sociedade. Não podemos olhar essas coisas como apenas distorções socioeconômicas, pois na verdade a distorção está no coração humano. Para isso, precisamos orar pelo Brasil e rogar a misericórdia de Deus.
Em segundo lugar, precisamos agir como cidadãos responsáveis e assumir a postura cristã, não aceitando os vícios de nossa cultura, mas exercendo a contracultura cristã na nossa sociedade. O fato de o Brasil ser conhecido como o país do “jeitinho”, da ética frouxa e conveniente, não pode ser usada como desculpa pelo povo de Deus. Precisamos ter cuidado para não cair na lábia dos “falsos-profetas” que tentam passar sonhos e ilusões em detrimento do compromisso real que precisamos ter com Cristo e Sua vontade.
E finalmente, devemos ser agentes da paz bendita. No hebraico temos o vocábulo shalom, “paz, prosperidade, bem-estar”. Nossa presença precisa ser de paz e harmonia em nossa sociedade. Isso não significa dizer que aceitaremos tudo, mas “[...] no que depender de vós, vivei em paz com todos os homens” (Romanos 12:18). Às vezes nossas posições não serão aceitas e trarão a oposição de muitos; entretanto, agiremos sempre em favor do bem-estar da sociedade, seguindo os valores de Deus para que as pessoas vejam em nossas atitudes coerência e verdade.

Que desafio é viver num país tão desigual e injusto! Mas foi nessa terra que Deus nos colocou para que em nossa peregrinação até à pátria celestial possamos deixar um legado para a eternidade. Aqui nessa linda e amada terra ainda há muita gente que precisa ser alcançada; oremos e trabalhemos pelo bem-estar de nosso querido Brasil.

30 de agosto de 2014

CoRI e Departamento de Letras inscrevem para curso preparatório para Diploma de Espanhol

A Coordenadoria de Relações Internacionais (CoRI) e o Departamento de Letras da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) inscrevem até o dia 3 de setembro os interessados em participar da seleção para o curso preparatório para o Diploma de Espanhol como Língua Estrangeira (DELE), Nível B1.
Para participar do curso, os requisitos básicos são: estar matriculado em curso de Graduação em Letras ou de nível superior nas áreas e temas do Programa Ciência sem Fronteiras (PCsF), ter nacionalidade brasileira e coeficiente de rendimento escolar (CRE) igual ou superior a 7,0 (sete). O curso preparatório pretende propiciar aos alunos de graduação em Letras e aos estudantes da UEPB que desejam participar do Programa Ciência sem Fronteiras o domínio em nível intermediário do idioma espanhol.
As inscrições ocorrem no horário das 9h às 11h30 e das 14h30 às 16h30. Estão sendo oferecidas 30 vagas. O curso terá 30 horas/aula e será ministrado no turno da tarde, das 14h30 às 16h, todas as terças e quintas-feiras. Os candidatos que desejem participar do curso se submeterão a um teste de nivelamento, o qual consistirá de entrevista simples e análise curricular.
Os diplomas de Espanhol como língua estrangeira são títulos oficiais que certificam o grau de competência e domínio do idioma espanhol, outorgado pelo Instituto Cervantes em nome do Ministério da Educação e Ciência da Espanha.
Fique sabendo
A UEPB será Centro Aplicador do DELE (Diplomas de Español como Lengua Extranjera) e aplicará um exame especial para as Chamadas do programa Ciência sem Fronteiras em vigência, no dia 26 de setembro de 2014. Outras informações podem ser obtidas através do fone (83) 3315-3415 e pelo e-mail pcsf@uepb.edu.br.

29 de agosto de 2014

Universidade Estadual da Paraíba firma convênio com Prefeitura de Sapé para formação continuada de professores

sap2O Reitor da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), professor Rangel Junior, recebeu na manhã desta quarta-feira (27), em seu gabinete, no Câmpus de Campina Grande, o prefeito de Sapé, Flávio Roberto Malheiros Feliciano, para juntos assinarem um convênio de parceria entre a Secretaria de Educação daquele município e a Instituição. Participaram da reunião a pró-reitora de Ensino Médio, Técnico e Educação à Distância (PROEAD), Eliane Moura; o secretário de Educação do município de Sapé, Kildare André Lima de Freitas; e a gerente pedagógica de Sapé, Lucia Maria Pereira Leite.
Segundo Kildare Freitas, a busca por firmar parceria com a UEPB surgiu a partir da necessidade em prestar formação continuada aos professores da rede municipal de Sapé, tendo em vista um melhor desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), indicador do Governo Federal.
De acordo com a professora Eliane Moura, este tipo de solicitação vem sendo feita por diversas prefeituras e a Pró-Reitoria procura atender a todas, discutindo as principais necessidades e delineando propostas para os encontros de capacitações, que ocorrem geralmente às sextas-feiras e aos sábados. Através desta assinatura, Sapé consta como o segundo município a firmar parceria com a UEPB, através da PROEAD. O primeiro convênio foi firmado com a Prefeitura de Campina Grande.
Para a gerente pedagógica Lúcia Leite, a parceria é importante porque tem em vista as próximas avaliações do IDEB e a possibilidade de alcançar um crescente nível de aprendizado. “Com ações de educação como esta a UEPB só tem a melhorar o nosso município”, afirmou.
Equipe capacitada
Professores pós-graduados em diversas áreas do conhecimento, como Pedagogia, Letras, Matemática, Língua Portuguesa, História, Geografia e demais licenciaturas da UEPB foram convocados a participar do aperfeiçoamento prestado aos docentes de outros municípios, em um sistema chamado de “Formação do Formador”.
“A PROEAD possui equipe multidisciplinar de projetos pedagógicos para educação continuada nos municípios paraibanos. Nosso trabalho vai desde a educação infantil ao ensino médio, sempre no sentido de melhorar a prática dos professores em sala de aula”, explicou a pró-reitora Eliane Moura, acrescentando que o projeto ainda envolve alfabetização de jovens e adultos, educação em comunidades quilombolas e diversos níveis de ensino e temáticas.

Cineclube Machado Bittencourt promove exibição em homenagem aos 33 anos de morte de Glauber Rocha

O Cineclube Machado Bittencourt, projeto de extensão do Departamento de Comunicação (DECOM) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), prestará uma homenagem ao cineasta brasileiro Glauber Rocha, falecido há 33 anos, com a exibição, nesta sexta-feira (29), do filme “Terra em Transe”, filmado em 1967. A sessão acontece, a partir das 16h, na Sala 213 do Centro de Integração Acadêmica, no Câmpus de Bodocongó.
“Terra em Transe” é um filme contemporâneo que mesmo tendo sido produzido há mais de três décadas permanece atual, retratando uma realidade que não é muito diferente dos episódios ocorridos em 1967. No filme, Glauber realizou a primeira análise profunda e profética para o pensamento da esquerda oficial. “É como se ele tivesse feito uma profecia” observou o professor Rômulo Azevedo, idealizador do Cineclube.
O filme foi considerado pela crítica uma obra-prima de Glauber Rocha e recebeu o Prêmio Internacional da crítica no Festival de Cannes. No filme, o senador Porfírio Diaz (Paulo Autran) detesta seu povo e pretende tornar-se imperador de Eldorado, um país localizado na América do Sul. Porém, existem diversos homens que querem este poder e resolvem enfrentá-lo.
Glauber de Andrade Rocha morreu no dia 22 de agosto de 1981, aos 42 anos, no Rio de Janeiro, devido a problemas broncopulmonares. Ele foi apontado como um dos líderes do cinema novo, do movimento vanguardista, e o responsável por uma grande renovação do cinema brasileiro, na década de 1960.